QUERO REPUBLICAR AQUI UM ARTIGO ESCRITO TEMPOS ATRAS, PORQUE PARECE QUE O TEMA CAIU NO ESQUECIMENTO. ASSIM, VAMOS REACENDER MEMÓRIAS CURTAS.

AS NUANCES TEOLÓGICAS NAS MENSAGENS POSTADAS

A todos a quem dedico meu carinho e, em especial, àqueles que retribuem, quero deixar aqui uma mensagem em sentido de pedido.

Antes que me julguem arrogante, quero esclarecer que respeito todas as convicções religiosas. As correntes teológicas, na realidade, a meu ver, não distribuem males pelo mundo. Alguns seguidores, estes, sim, desvirtuam os ensinamentos que sempre indicam caminhos pacíficos.

Entretanto, tenho recebido diuturnamente mensagens de correntes diferentes da minha. Acredito que os que assim o fazem, acreditam estar fazendo o bem.

Não posso concordar! E se não concordo, é pelo que passo a expor:

1 – Acredito em um só Deus, Excelso Criador, que a nós, sua criação, presenteou com o dom da vida e concedeu-nos, ainda, o privilégio do livre arbítrio em nossa passagem terrena.

2 – Não posso me permitir a crença de que uma divindade, superior a todas as outras que supostamente possam existir, necessite utilizar uma de suas criaturas para punir outra que tenha praticado algum ato, só considerado errado por essas criaturas algozes;

3 – Não posso crer que Deus precise utilizar minha mão, minha voz, meus passos… enfim todo o meu ser ou parte dele, para se fazer entender pelos demais, se Ele, Supremo, é Onipotente.

4 – Não posso aceitar pregações do Antigo Testamento que falam de um deus de um homem e não da humanidade;

5 – Não posso aceitar que um homem seja escolhido por Deus, quando todos são iguais perante Ele;

6 – Não existe matéria tangível na espiritualidade, portanto, não existe capacidade para pensar, sentir, ver, escutar…  ou seja, espírito é energia pura, portanto os “pecados” dizem respeito à matéria e não acompanham a espiritualidade.

7 – Não creio na instituição divina do pecado. Creio na criação histórico-cultural, dependendo, ainda, da regionalidade. Assim, o que hoje se considera pecado, na realidade era lei, imposta por alguns sobre outros.

8 – Minha corrente teológica respeita, contudo, todas as demais e suas manifestações. Não invado espaço nem critico outras religiões.

9 – Meu país permite liberdade de credo, inibindo, por lei, qualquer manifestação de repúdio ou preconceito religioso. Assim, acredito estar respeitando a lei, enquanto me sinto afrontado pelas constantes mensagens de fiéis de outras correntes, que, repito, parecem acreditar que estão certos, enquanto pretendem convencer-me que estou errado.

Por esses nove motivos e por outros que deixo de relatar, quero pedir encarecidamente que não me enviem mensagens religiosas. Mesmo porque, os que me conhecem de perto conhecem minha convicção espírita.

Não quero, como já disse alhures, parecer grosseiro, mas são mensagens perdidas por seus remetentes. Converso com Deus diretamente e não utilizo intermediários, da mesma maneira que mantenho o diálogo aberto e permanente com meus filhos e demais familiares.

Ele é Onipresente, Onisciente e Onipotente. Sendo, também, Onipiedoso e Oniamoroso, não posso aceitar que me imponham a imagem de um ser supremo cruel, que castiga seus filhos com infernos, ou outras criações de algumas mentes terrenas doentes. Não creio em deuses deste ou daquele homem, mas um só de todas as criaturas, não só homens, mas todas as que foram realmente criadas pelo Excelso Criador. Tanto o é que o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Este grande mistério só é possível, quando identificamos, com certeza, que existe um lado espiritual em tudo e não apenas no homem. E o Verbo feito carne o fez para demonstrar que são duas existências distintas – material e espiritual.

Não creio (repito) em pecados. Creio que possa existir o certo e o errado, dentro de uma cultura. Mas, isso nada tem a ver com alma ou espiritualidade.

Não acredito que exista um povo salvo, se esse povo não é a própria humanidade.

Não cultivo a idéia de raças. Acredito na existência da raça humana. E, ponto final.

Obrigado,

Artur Quintela Gomes

Anúncios