Só podia acontecer mesmo em São Paulo. Êita!!!

A Globo.com divulgou notícia informando que a marca “Corinthians” superou a “Flamengo” em marketing.

Veja a matéria abaixo.

 

 

13/12/2010 12h20 – Atualizado em 13/12/2010 18h04

No centenário, Corinthians se torna marca mais valiosa e desbanca o Fla

Segundo dados divulgados pelo jornal “O Estado de S.Paulo”, Timão atinge R$ 749,8 milhões. São Paulo assume 2ª posição, e Rubro-Negro cai para 3º

Por GLOBOESPORTE.COM São Paulo

Apesar do ano do centenário sem títulos, o Corinthians conseguiu um grande feito entre os clubes brasileiros. Em 2010, ultrapassou o Flamengo, dono da maior torcida do Brasil, e agora lidera o ranking das marcas mais valiosas do futebol nacional, de acordo com o jornal “O Estado de S.Paulo”, baseado em estudo realizado pela Crowe Horwath RCS, empresa do vice-presidente de Finanças do Timão, Raul Corrêa da Silva. Ações de marketing desde a chegada de Ronaldo e para o ano comemorativo do aniversário de 100 anos da sua fundação, além da massiva presença de público nos estádios, são fatos que levaram o Alvinegro a se tornar a marca de maior valor: R$ 749,8 milhões.

 

 

Ora, ora, ora… Vejamos, numa análise fria e desprovida de emoções que “a propaganda é a alma do negócio”. Entendo que a Globo está fazendo propaganda de São Paulo. Aliás, sempre fez. Sempre relegou os clubes cariocas a segundo plano. Como se o futebol paulista fosse o melhor do Brasil (e do mundo). Faz-me rir.

Corinthians – com o devido respeito aos corintianos – é marca paulista de sucesso. Eu escrevi – e repito – PAULISTA. Flamengo é marca de sucesso nacional. Alguém discute?

Ande-se por qualquer das unidades da federação. O que se vê são camisas do Flamengo em maioria absoluta. Em qualquer estádio que o Flamengo joga sua torcida local se mostra imbatível.

É claro, que toda regra tem exceção. Em estados onde o fanatismo supera a emoção de torcer pelo seu clube (ou time, melhor dizendo) o Flamengo pode até ver sua torcida inferiorizada nos estádios. Isso acontece em jogos contra times paulistas (da capital, dentro da capital) ou gaúchos (também, da capital, dentro da capital). Porque se sairmos de Sampa e formos até Campinas, com certeza a torcida rubro-negra local se manifestará com mais veemência do que às dos clubes da região.

E o marketing se faz em cima dos produtos vendidos. O marketing é a publicidade em torno de um produto para vender mais. Se o produto não vende nada não existe marketing. Mas se vende bem e existe possibilidade de vender mais o marketing é propicio.

O que estamos vendo é o marketing paulista em cima de seus clubes – que já deixaram de ser clubes esportivos e transformaram-se em verdadeiras empresas.

Até aí, tudo bem. Mas valorizar uma marca local, com pesquisa feita pelo diretor da própria marca é tentar passar para o povo a mesma conversa fiada dos políticos (e politiqueiros) de plantão.

Como se manifestará Arthur Muhlemberg, que é da própria Globo?

O cacete vai aparecer na hora, acredito.

 

 

Anúncios