A PEDIDO DE NOSSO AMIGO JAIR MONTEIRO, PUBLICAMOS ABAIXO SUAS REFLEXÕES A RESPEITO DO DESFILE CARNAVALESCO DE 2011.

COMO É MINHA INTENÇÃO MANTER A IMPARCIALIDADE QUE O ASSUNTO REQUER, ADIANTO QUE AMBAS AS ESCOLAS ENVOLVIDAS TÊM MEU APREÇO, CONTANDO, INCLUSIVE, COM VÁRIOS AMIGOS DENTRO DAS DUAS AGREMIAÇÕES CARNAVALESCAS.

PORTANTO, NÃO SÃO MINHAS AS PALAVRAS ABAIXO REPRODUZIDAS – SEM SICs, POIS NÃO HOUVE EDIÇÃO ALGUMA – E NÃO RETRATAM OBRIGATORIAMENTE MINHA MANEIRA DE PENSAR A RESPEITO.

Artur Quintela

REALMENTE  ISTO  SIM  É  UMA  VERGONHA!

Após a apuração das notas dadas pelos jurados a cada agremiação depois do grande desfile carnavalesco, é comum ouvir as lamúrias e choromingos dos derrotados quando constatam que a sua suposta “competência” foi suplantada por outro ou outros, sempre tentando achar desculpas esfarrapas para encobrir a falta de gestão administrativa, associado a uma falta cavalar de humildade.

Tenho a lamentar profundamente esse destempero. Até certo ponto entendo o desabafo, pois ao ver esvair-se por entre os seus dedos o sonho de ser campeão do Carnaval das Escolas de Sambas de Porto Velho, o músico, sambista e carnavalesco Oscar Dias Knightz no seu manifesto de repudio, impulsionado por um sentimento dantesco de ferocidade, associado a decepção pela perda do título que há muito o vemos perseguindo com tenacidade, “bateu” impiedosamente sem se importar com o desenrolar das conseqüências de suas palavras quando lançou, ou melhor, jogou algo pior que lama sobre a dignidade de pessoas que só queriam ajudar na concretização do evento.

Tem um dito popular que diz o seguinte: “quem bate, esquece. Más quem apanha, não”. Outrossim, não vim aqui apontar o dedo pra cara e muito menos atirar pedras no telhado de ninguém, pois sei que parte do meu (telhado) é de coberto de vidro. Lembra do caso P…?

Não se pode querer fazer, e de forma vergonhosa, é denegrir um corpo de jurados (e que os senhores das outras escolas de samba também escolheram) formado por pessoas que tem suas profissões definidas e que ali estavam porque receberam capacitação por parte da FESEC para comporem o elenco de julgadores, mesmo sendo essa capacitação ministrada num curto espaço de tempo.

Quero lembrar aos mais afoitos e árduos defensores da moral, da honestidade, da ética e dos bons costumes, que a Diplomatas perdeu pontos nos quesitos que tinha que perder. Logo após o desfile, a Diretoria da Escola já estava consciente de que haveria a subtração na sua pontuação.

Outro ponto que deve ser levado em consideração pelo nosso aludido reclamante, é a contratação de pessoas competentes e criativas dando-lhes condições para que os mesmos façam com desenvoltura o seu trabalho. Isto posto, nos remete a outros itens fundamentais que ultrapassam aos quesitos julgados num desfile de escola de samba tais como decência, moralidade e honestidade, onde o visual, a competência e a beleza são reflexos destes itens fundamentais. Posso falar isso da Diplomatas, a CAMPEÃ de fato e de direito do Carnaval 2011. Este título é o reflexo da decência e honestidade com que foi tratado o recurso público. Não estou lançando dúvidas com relação às outras agremiações e sim, ESTOU AFIRMANDO E CONFIRMANDO O CAMINHO QUE A DIPLOMATAS SEGUIU e por isso é a legítima CAMPEÃ. Não se pode querer comparar um excelente vinho do porto com refresco de groselha. A superioridade e altivez com que a Escola Vermelha e Branca imprimiu na passarela do samba não deixaram margem de dúvidas até para os brincantes de outras agremiações que vaticinaram o seu título.

Portanto, antes de lançar fagulhas de ódio e bravatas descabidas, é preciso que cada agremiação faça auto-análise do que foi programado e realmente executado, reconhecer as falhas, onde errou. Enfim, tudo isso é que faz crescer credibilidade do nosso carnaval. Querer manchar conquista de um título esquecendo-se de olhar as suas deficiências crônicas e uma postura cheia de empáfia, ISTO SIM É UMA VERGONHA!

Jair Monteiro Silva de Souza

Engenheiro Civil Calculista, e nas horas vagas Puxador de Samba, Músico Instrumentista, Carnavalesco e Sambista.

Com a palavra, agora, o outro amigo, Oscar Knightz. O espaço é todo seu, democraticamente.

Anúncios