Quem é de Rondônia por nascimento ou coração, com certeza, aguarda a chegada da gestora maior de nossa nação, prevista para amanhã.

É que está prometido que Dilma irá assinar o ato da tão angustiosamente esperada TRANSPOSIÇÃO.

É verdade que ainda não se sabe se será vantagem real para os funcionários contemplados no ato. Não se sabe, por exemplo – já que não ficou bem claro – se serão contemplados na folha de pagamento dos federais com salários “federais” ou se será mantido o meio quinhão que recebem do governo, já tão espoliado, de nosso estado.

Também, não será vantagem nenhuma passar o pagamento de “dentro do mês” (já que os servidores estaduais recebem até o dia 28 de cada mês) para o quinto dia do mês seguinte ao trabalhado.

O que se sabe é que o quadro onde serão alocados os servidores “transpostos” foi criado exclusivamente para eles, sendo portanto “em extinção”. Isso mesmo. O quadro ao qual serão alocados será extinto, tão logo se aposente (ou morra) o último funcionário.
De qualquer forma, como brasileiro gosta de fazer festa por tudo, o rondoniense tem algo a comemorar. Cerca de 30 milhões de reais serão retirados da folha de pagamento estadual o que faz presumir que serão utilizados para compensar os baixos salários percebidos, até agora, ou, de outra maneira, o governo local poderá realizar novos concursos para “aumentar” o quadro que “atende” à população.

Resta aguardar.

Mas, sinceramente, depois de tantas promessas não cumpridas ( não propaladas pela gestora maior, diga-se por justiça) da vinda da signatária máxima ao nosso estado, ainda me preocupa.
Será que a morte de Itamar não vai atrapalhar a agenda da “Presidenta” e faze-la, mais uma vez, adiar a “famigerada” assinatura?

Repetindo: RESTA AGUARDAR!

Anúncios