Diz a lenda – O CASARÃO E O BANZEIRO

Por: Beto Ramos

O casarão na entrada do distrito de Calama, onde residiu o seringalista Joaquim Pereira da Rocha, foi demolido, assim como a missão de Santo Antônio das Cachoeiras foi destruída pelos Mura.

Com mais de cem anos de história, foi ignorado como patrimônio histórico, e foi posto ao chão com as bênçãos da indiferença que maltrata a nossa gente.

Telhas que possuem a data do ano de 1908 foram distribuídas entre a população.

Uma página da nossa história simplesmente foi ignorada.

Segundo alguns moradores do local, existia a ameaça de desmoronamento do casarão.

Mas, o abandono, muito contribui para o desaparecimento do patrimônio histórico.

O casarão foi ao chão, o rio desmancha o barranco e vai engolindo o distrito de Calama.

A capital e o capital.

Associações e Institutos também precisam ver com bons olhos o patrimônio histórico em todas as margens do Madeira.

Quem tem medo de banzeiro?

Ame Porto Velho.

 

Diz a lenda

 

Anúncios