COISAS QUE SOU CONTRA

 

1 – Lei Seca

Lei hipócrita, sem moral, sem valor cultural. Todos sabem que bandido continua bandido. E que uma taça de champanhe não faz ninguém sair da linha.

Mesmo assim, o presidente que bebia (acho que ainda bebe) cachaça, sancionou a lei. Num ato hipócrita, já que nunca seria pego ao volante depois de conseguir dois motoristas particulares por toda a vida, sem ter que desembolsar um centavo por isto.

Acredito que o motorista embriagado deve ser responsabilizado criminalmente por seus atos. Isso sim.

Mas taxar todos os motoristas de criminosos porque uma minoria é bandida, é hipocrisia, sim!

 

2 – Lei do Desarmamento

Outra lei hipócrita. Afinal, o que se espera dos agentes de segurança é isso mesmo: SE-GU-RAN-ÇA!

Cansei de ouvir polícia, juiz… dizendo pra não reagir, pra entregar tudo de valor ao ladrão… que não se dê vazão à emoção…

Tudo isso em nome da proteção à vida.

Afinal, me pergunto, cá com minha “santa ignorância”: Pra que pagar agentes de segurança se não me dão essa resposta? E, ainda, me mandam entregar tudo ao ladrão!…

Não pode – o cidadão comum, de bem, trabalhador, honesto – ter uma arma em casa.

A explicação é inócua para que tem um pingo de tirocínio.

Afinal, não é a arma do cidadão de bem que cai nas mãos do bandido. Ele a compra no sub-mundo do crime. Ou então, da própria força de segurança.

Arrebata armas de onde quer e continua vivendo em plena “segurança”, pois tem com que se defender – E ATACAR!

Já o pobre contribuinte comum não pode ter. Não deve reagir.

 

3 – Greve

Já participei de movimento grevista – uma única vez – para não “ser do contra” com meus colegas de trabalho. Mesmo assim continuo acreditando que o trabalhador de qualidade não precisa fazer greve pra buscar melhoria profissional.

Creio piamente que, se o trabalhador é um profissional de qualidade, o mercado o absorverá em outra empresa.

Mais ainda: Se for competente, mesmo, poderá abrir seu próprio negócio e nunca mais ser “mandado por chefe”.

Fui empregado enquanto os patrões eram recíprocos. Na hora em que achei que estava sendo prejudicado, virei o jogo.

Fazer greve pra buscar aumento salarial é legal. A Constituição Brasileira prevê o direito de greve.

Mas é moral? Essa é a pergunta que não cala.

Acredito que os trabalhadores continuam sendo enganados por pseudolíderes que aproveitam a massa como trampolim para ingressar nas fileiras políticas.

E o povo se deixa manipular.

Incrível, ver pais de família, homens que se deveriam dar ao respeito, partir pra cima da polícia, como se guerrilheiros fossem, por uma causa que não é sua. Ledo engano, apenas.

 

É certo que a legislação deve ser cumprida. Jamais faria apologia à desobediência civil, como, aliás, já fizeram alguns mandatários do país.

Mas, a mesma Carta que dá direito à greve, concede a liberdade de expressão de pensamento.

Sou contra, mesmo tendo que obedecer e conviver com algumas das leis de meu país.

 

Depois conto mais.

Anúncios