Epitáfio para Antenor Mariano

 

Sem alarde. Assim como fora sua vida. Assim partiu mais um do clã dos Mariano.

Antenor foi atender ao chamado do excelso Criador.

Pouca gente conhecia o verdadeiro Mariano. Isso porque era um homem quieto, dedicado à família e ao trabalho.

Sua religiosidade sempre o conduzia à igreja católica e, para lá, levou seus descendentes, num verdadeiro ensinamento cristão.

 

Mas pude ver, hoje, mais uma, dentre tantas pessoas a quem ajudou. É essa, verdadeiramente, a face que Antenor nunca exibiu. Ajudava muita gente. Muita, mesmo. O coração não era apenas trabalho, trabalho, trabalho.

 

Claro que cuidava do que tinha. Claro, também, entretanto, que não contava moedas como tantos avarentos. Seu crescimento deu-se, sim, em virtude de seu labor diário, incansável, décadas e décadas a fio.

 

Foi-se Antenor.

 

O bairro do Areal jamais será o mesmo.

 

Foi-se aquele que manteve a tradição de labor incansável de seu pai, saudoso João Mariano.

 

Creio que outros surgirão trilhando no mesmo caminho. Seus filhos estão aí, como prova disso. Mas a figura paterna, amiga, gentil, sóbria e – sobretudo – discreta de Antenor Mariano, estará para sempre na memória do Areal.

 

Não pude ir ao sepultamento. De última hora aconteceram imprevistos.

 

À família enlutada, esposa, filhos e demais descendentes e parentes, envio os sentimentos da família Quintela.

 

 

Anúncios