Bom dia a todos que frequentam esse espaço.

Hoje quero deixar um depoimento que trata de algo quase irreal nos dias atuais. Faz tempo que deixou de ser comum. E tornou-se tão incomum que vale a pena depor sobre o tema:

Pedido de casamento.

Embora tenha outras filhas, sobrinhas, e “outras herdeiras” familiares, foi exatamente com minha caçula que veio a surpresa.

Renato, tão tímido quanto qualquer moço de bem de sua idade, pediu-me para conversar. Ora, conversa a gente estava tendo. Mas, o lampejo de pai “das antigas” levou-me a crer que havia algo mais e que este “algo mais” tinha a ver com Agnes.

Sim, havia. O tímido rapaz queria “sacramentar” seu relacionamento com Agnes.

E o “papo” foi saudável, deixando-se transcorrer o tempo sem pressa e, principalmente, sem animosidades.

Lúcido, mostrou-me que seu relacionamento era sério pretendendo ser definitivo. O que faria qualquer pai se alegrar.

Mas, só o fato de ter decidido contar seu planos para a família de sua namorada já fazia dele um herói num tempo em que quase todos decidem “ficar”, apenas, para, em breve, sumir.

A decisão de Renato é diferente. Quer harmonizar-se com aquela que pretende ter como companheira para sempre.

Isto posto, colo aqui trecho do poema de Vinicius de Moraes para demonstrar minha satisfação em encontrar um homem num mundo que, de tão moderno, só tem mostrado os “caras”.

Portanto,

“que não seja imortal posto que é chama, mas que seja eterno enquanto dure”.

Felicidades aos dois. Mesmo porque a felicidade dos dois será a felicidade de outros mais – os familiares.