Mulheres, mulheres…

Não as parabenizo pelo dia de hoje. É incentivo ao conflito.

Parabenizo-as pelo que são: Simplesmente MULHERES!

Mulheres frágeis e fortes ao mesmo tempo. Que emolduram a tela do rosto com cabelos dos mais variados penteados. Que fazem do corpo a mais perfumosa das flores. Que doam seu ventre para a vida que se forma. Que doam a beleza de seu corpo em troca do amor à maternidade.

E que enfrentam o desterro quando são abandonadas sós com suas crias.

Que enfrentam tudo e todos, até a fome, para que seus rebentos continuem a trilhar os caminhos da vida.

Que passam noites e noites insones, sem queixas ou mágoas, quando aquelas vidinhas a seu lado padecem de algum mal.

Que saem para o labor diário com o coração partido pela separação dos seres queridos.

Mulheres, mulheres…

Que tédio seria esse mundo sem elas.

Que tédio seria minha vida.

Por isso não as parabenizo por um dia. Um só é infinitamente incompreensível. Pois todos os dias quero tê-las comigo. Todos os dias quero parabenizá-las, por sua força, coragem, determinação, consciência.

Mulheres feias, bonitas, altas, baixas, gordas, magras… Mulheres, simplesmente.

A vocês dedico a música que escolhi hoje, para iniciar o dia. Pois reflete coragem, determinação… e tantos outros adjetivos que sobram em vocês.

Carruagens de Fogo!

E todas as músicas do dia.

Porque hoje só se ouvirão músicas lindas que falem da beleza da mulher.

Porque toda boa música tem que falar do lado feminino da vida: MULHER!

Bom dia!