A importação de Engenheiros – Opinião

Por Artur Quintela

 

Verdade que o Governo Federal tenciona abreviar o registro de engenheiros estrangeiros para atuar no Brasil.

Verdade, também, que a Federação Nacional de Engenheiros se posiciona preocupada com a medida, já que isso pode gerar desemprego para os engenheiros brasileiros.

Verdade, ainda, que a evasão dos acadêmicos atua como desestímulo às Faculdades em disponibilizar cursos de engenharia em várias regiões do País.

 

Entretanto, é bom que se veja – NOTADAMENTE – que a qualidade do ensino superior no Brasil despencou tenebrosamente.

 

Trabalho com assessoria acadêmica e estou ultimando meus últimos trabalhos com a categoria exatamente por estar decepcionado com a qualidade de ensino e aprendizado hoje difundidos em nossas faculdades.

 

Parece que a voga (dos anos setenta) voltou como prioridade: O diploma é mais importante que o saber.

 

Temos, atualmente, docentes que se formaram de forma irregular, apadrinhados, parece-me. Não sabem compor um Projeto de Pesquisa, embora tenhamos vários autores abalizados no assunto que ensinam os dez passos para a elaboração de um bom projeto.

 

Têm-me chegado às mãos trabalhos com notas elevadas – aprovados – e incompletos. Faltando metodologia, padronização, partes, enfim… E aprovados!

 

Tais graduandos (graduados) sofrem uma decepção enorme quando são rejeitados pelo mercado de trabalho – cada dia mais exigente na qualificação de mão-de-obra.

 

Contudo, são eles mesmos os responsáveis – ou co-responsáveis – pelo fracasso. Preferiram o “canudo” ao saber.

 

Enquanto isso, os que estudaram com afinco (CDFs, no linguajar chulo das “facul”) conquistam vagas excelentes no mercado. Mas são poucos… pouquíssimos.

 

E assim caminha a academia…

 

Esperar o quê, então, de um governo que se interessa pelo progresso? Temos que ir buscar lá fora, sim. O que está faltando aqui. Em quantidade e qualidade. Se quisermos continuar progredindo.

 

 Dê um pulinho no link

http://www.seesp.org.br/site/cotidiano/828-fne-se-posicion…tacao-de-engenheiros.html