CANTINHO DA PAZ

Por Artur Quintela

 

 

É impressionante como a Natureza demonstra amor ao homem.

Infelizmente, com a maioria das pessoas acontece o inverso.

No projeto “Cantinho da Paz” temos percebido que, a cada dia, mais e mais pássaros se aproximam de nossa casa. Já tivemos ninho de corruíra (garrincha) dentro do banheiro. Acompanhamos até a saída dos filhotes, que passearam por dentro da casa, antes de seu primeiro vôo. Também vimos as rolinhas fazendo ninho nas ramas de favas.

As capivaras, porcos do mato e até os felinos chegam a uma proximidade impressionante. Não nos molestam, embora os queixadas e catetos devorem nossos tubérculos (inhames, carás) e manhôs (macacheira/aipim, mandioca), por inteiro.

As araras chegam a dar rasantes pelo telhado da casa e as menores (jandaias, periquitos, maracanãs, etc.) não saem das palmeiras de tucumãs e buritis.

No arrebol podemos ver as maiores (vermelhas e canindés) encaminhando-se para os ninhais. E também as pombas-galegas que se retiram para o descanso noturno.

Pela manhã, é normal despertarmos com os macacos “zogue-zogue” cantando no aceiro da mata. Alguns dizem que estão “chamando chuva”. Mas nem sempre chove quando fazem sua costumeira algazarra matinal.

E, agora, acompanhamos o trabalho incansável da mamãe beija-flor para alimentar seus filhotes em uma pequena mangueira, que mal chega a um metro e oitenta de altura. Ainda frágil, a arvorezinha atende bem a necessidade da família.

 

2013-08-24 12.49.52 2013-08-02 15.10.15 2013-08-06 12.26.11 2013-08-06 12.26.14 2013-08-06 12.27.14 2013-08-06 12.30.40 2013-08-11 08.16.50 2013-08-11 08.22.09 2013-08-11 08.24.02 2013-08-11 08.24.19 2013-08-11 08.30.57 2013-08-24 12.49.25 2013-08-24 12.49.28 2013-08-24 12.49.47

 

O encantamento é para quem valoriza coisas assim. Irmanados com a Natureza sentimos a presença divina do Excelso Criador em toda sua plenitude. É como se fosse o elo que nos une à nossa origem.

Não é fácil ficar na cama, após os primeiros raios do sol brilharem na mata e campo. A disposição para a lida vem naturalmente. Talvez seja por isso que raramente vemos o homem do campo barrigudo e preguiçoso. A Natureza chama por nós. Ela nos ama, verdadeiramente.  Busca a aproximação.

Difícil é entender a ganância que destrói.

Não adianta falar em recuperação. Nada volta a ser como antes.

Prefiro os pássaros, mamíferos, répteis ao meu redor, do que destruir seu habitat em busca de riqueza (que fatalmente não levarei para o último leito).

Bom dia, boa semana!