ASFALTÃO

O ESTURRO DO TIGRE

TATÁ

“Sobe a temperatura no termômetro da disputa interna do samba de enredo para 2014, da Escola do Bairro Santa Bárbara.”

Por: Altair Santos (Tatá)

Tudo começou após o retorno do Mestre Oscar Knightz, do Rio de Janeiro. O cara voltou querendo conversa, ávido por fortes emoções e adrenalina em escala ascendente. Tão logo desembarcou no aeroporto da capital, lá foi ele direto, todo de branco em alta madrugada, sob silêncio sepulcral, de mala e cuia, banhar-se nas frias e límpidas águas do grutião.

Dizem que lá, testemunhado pela sua esposa Bete e o olhar tênue da luz cheia, o Oscar cantou uns mantras e fez um bailado nunca visto nem pelo lendário bailarino e coreógrafo russo Mikhail Baryshnikov, num ritual que selava a conexão Rio-Porto Velho, uma simpatia feita como encomenda pelo botafoguense, pra ungir com proteções divinas o seu samba de enredo na disputa pra 2014, segundo se comenta.

Nem sabemos direito as quantas andam os preparativos para o carnaval do ano do centenário de Porto Velho. Porém lá pras bandas do Bairro Santa Bárbara, desde a volta do Oscar, há dias, o silêncio foi quebrado. A acalorada guerra de nervos que permeia a disputa pela escolha do samba de enredo da Escola Asfaltão, já começou com a temperatura marcando alto no termômetro da Rua Bolívia, Tenda do Tigre e arrabaldes.

Pelo jeito e ao que tudo indica a turma de concorrentes ao samba que irá pra avenida, vai passar esses dois meses cuspindo brasas, uns na cara dos outros! Foi dado o primeiro disparo nessa guerra psicológica. O primeiro a soprar labaredas pra tudo que é lado foi ele mesmo, o Mestre Oscar Knightz, via facebook, após purificar-se e proteger-se com as águas, ervas e sais da fonte sagrada.

Como dito, recém chegado de uma breve estada no Rio de Janeiro, onde fora se revigorar nas areias e ondas de Copacabana, além de se esbaldar nos sambas e noites da Lapa e na Quadra da Vila Isabel, o rapaz se denunciando armado até os dentes com muita gasolina, palha seca e várias caixas de fósforo, deu uma de Nero, o imperador incendiário que ateou fogo em Roma e jogou as primeiras centelhas. De início, pra cima das Pastoras do Asfaltão e, depois, em direção aos demais.

Em seu comentário disse que elas, as Pastoras, estão fora da disputa, sequer compuseram uma linha, uma estrofe, perderam o cajado! Falou que a formação está em crise, em decadência, praticamente chamando-as de anciãs do Bairro Santa Bárbara. Aí o bicho pegou! A Wilma Pinheiro (que também é pastora) soube disso, desceu das tamancas e se fez possuída, invadida, intravenosamente contaminada pela paciência zero e explosiva do seu marido Zigo Lunga, o enfezado da Rua Alecrim (Bairro Cohab) e mandou seguinte recado: “se não mexer comigo, eu sou de paz!” Com um anúncio desses e, diante dos arroubos do Oscar, a essa altura já deu pra ver, a bandeira branca foi arrancada do mastro, ou seja: trégua nem pensar!

Pra não ficar só nessa de “mancuricar” o movimento das pastoras, o Oscar se nos saiu com outra: Tatá, onde está a concorrência que sumiu, ninguém dá as caras, está todo mundo recolhido, escondido, será medo? Não se garantem? Disse ainda que do jeito que a coisa vai, ele e seus parceiros do Trio de Ouro (Bainha e Zé Baixinho) vão subir no palco para a apresentação, na noite da escolha do samba, com o troféu de campeão no colo. A disputa então, nesse caso, dar-se-ia pela segunda colocação!

Absoluto nessa arena, o Oscar deitou e rolou pra cima dos demais dizendo: o Toninho Tavernard sumiu, parece se mudou pra Manaus e só vive na praia da Ponta Negra se aconselhando com os compositores de lá da terra do jaraqui! Se ele voltar pra concorrer vai trazer uma composição tipo zona franca cheio de chip e transistor, tudo importado. Mesmo assim seria apagado pela tecla off do nosso samba que está prontinho, tinindo, só esperando a hora de tirar do ar os concorrentes!

A Fina Batucada (juventude do Asfaltão) atravessou a batida, tá engrossando a voz e desafinou, não vai ter samba na disputa. O Mávilo e o Misteira há tempos não emplacam uma composição competitiva, estão fora do páreo. Se eles quiserem guarida nas sombras de um samba campeão podem chegar, vamos nomeá-los os chefes da nossa torcida animada pra noite da disputa. Enquanto isso eles podiam freqüentar os nossos ensaios e reuniões pra ver como se constrói um samba vencedor, o campeão dentro da escola e na avenida!

O Dr. Anderson Machado, o Fernando Chapéu e o Osvaldo Pitaluga também não vão disputar, eles reconhecem a força e o poderio do imbatível Trio de Ouro, a jóia rara do tigre. E vejam bem que tudo isso está acontecendo e a Vanilce, outra estopim curto da escola, ainda nem entrou na contenda. Imagine quando ela vier!

Mostrando firmeza, o Oscar ainda lançou um desafio. Dentro em breve, só pra ver quem tem roupa na mochila, irá promover uma roda de samba lá no Bar do Antonio Chulé praqueles que, dizem ter samba, cantarem os seus refrões! Será papai, será que vão topar?

Nessas turbulências de início de vôo e, sabedor da saraivada com munição pesada que vem por aí, eu, que tinha o modesto intento de apresentar um “sambinha”, botei o pára-quedas e pulei, deixa a nave voar! Outro que não terá sossego nesse alvoroço todo é o amigo Dr. Hugo Evangelista que deverá ter muito trabalho no campo jurídico, pra representar e defender ofensores e ofendidos, os contendores dessa grande pendenga carnavalesca, Ufa, peticione doutor, peticione logo!!!

O certo é que em tempos de espionagem internacional de olho no Brasil, pelas câmeras, pelas lupas, pelas lunetas, pelos óculos de grau e até binóculos comprados na Bolívia, além de abelhudos e xereteiros nas brechas de paredes e janelas, além de outros infiltrados, devem estar todos direcionados para cada passo dado pelos autores de samba do Asfaltão. De parte a parte, é prudente que se cuidem!

Pela autoridade e segurança com que chegou do Rio, pelo corajoso banho nas águas místicas lá da fonte do grutião e pelas contundentes e absolutas falas, o Oscar aparece como o adversário a ser batido, junto com seus parceiros é claro! Ao ensejo de mais uma tensa disputa, cabe aos concorrentes saírem das trincheiras e exibirem suas armas em forma de sambas e emparelharem a guerra fria que começa a esquentar ao som do ziriguidum! Quem viver verá!

tatadeportovelho@gmail.com