Tenho a obrigação de dedicar, mais uma vez, este espaço ao amigo Tatá (Altair dos Santos), colaborando no “imbróglio”  do samba enredo da Escola Asfaltão para 2014.

Então, segue o texto:

Asfaltão

ROMARIA AO GUTIÃO NA SEXTA FEIRA 13

Por: Altair Santos (Tatá)

TATÁ

Nem de longe, esse amigo de vocês imaginava estar mexendo num vespeiro. Tudo porque, apenas, singelamente, houvemos de noticiar alguns pormenores do místico compositor Oscar Dias Knightz e seus rituais e cuidados preliminares para a grande e acirrada disputa do samba de enredo da Asfaltão, rumo ao carnaval de 2014, ano do centenário de Porto Velho. Noutras palavras, botaram o tacho pra ferver e jogaram veneno dentro.
Mergulhado em simpatias, cheio de amuletos e se mostrando supersticioso, o Oscar deu a conhecer que vai para disputa interna pelo samba da escola, todo blindado, intransponível, mega-protegido, corpo fechado por forças normais e até paranormais. Ninguém, ao certo, sabe se é apenas blefe do experiente carnavalesco pra desestabilizar os concorrentes e as concorrentes ou se, realmente todos os xamãs, benzedores e as rezadeiras da Amazônia, realmente estão ungindo o negão.
Não bastasse sua rápida ida ao Rio de Janeiro e o surpreendente mergulho lá no olho d´água do grutião, nessa semana, o Oscar viajou pra Humaitá onde passou o carnaval fora de época da terra da mangaba. No tour ao vizinho estado do Amazonas ele aproveitou pra se embrenhar nas matas, onde Oxóssi é o deus e ter com alguns pajés de tribos raras e, na beira dos lagos calmos, fazer preces para algumas entidades, dentre elas, Iara a mãe d´água! Pelo visto tem muita reza, culto, ritual e parangolé. Queremos ver é o samba na “hora h”.
Um moço ligado à escola, cuja identidade mantemos em absoluto sigilo, até para preservá-lo, nos encontrou no centro da cidade e, com gestos trêmulos, voz baixa e contida, saiu com essa: Tatá, meu amigo, eu li o que você escreveu. Sinceramente o Oscar está mesmo levando a sério essa disputa! Aquele banho de que você falou na mina, é verdade? Respondemos que não só o Oscar, mas outros também, se dizendo merecedores e dignos de uma boa lavagem nas águas mágicas e milagrosas já preparam suas procissões àquele paraíso. Pelo jeito a região está mais concorrida que o caminho de São Tiago de Compostela, na espanha!
As pastoras, pra não perderem tempo e também se mostrarem vivas na cena da disputa, ao que se sabe, já prepararam um grande aparato de simpatia, misticismo, crendices, outros apegos e manifestações de fé. Elas inventaram uma tradicional novena, onde a reza do terço vai comer no centro e os pedidos, de Mãe Rainha Salve o Nosso Samba, serão apresentados em chorosos clamores. Sobre isso dizem os concorrentes: missão difícil, missão dificílima, essa da Santa!
Pra empatar o jogo e não dar margem e folga ao Trio de Ouro, muito menos dar sopra pro azar, comenta-se do Cohab ao Santa Bárbara que elas, as pastoras, sairão em procissão, hoje, sexta-feira 13, em hora não divulgada, lá pra fonte donde jorram e escorrem virgens e inocentes as puras e abençoadas as águas do grutião.
No ritual da Romaria das Pastoras consta que o Agildo e o Zigo, dois ferrenhos torcedores das meninas, irão na frente bebendo muita cerveja, soltando foguetes e levando o andor com flores, rendas, sais e outras ofertas pra hora do bate tambor lá na beira d´água! Logo atrás vêm elas, as desesperadas compositoras puxando um hinário de exaltação e fé e fazendo seus pedidos em vozerio alto, fortes alaridos, quase aos gritos!
Um compositor da escola, que também é advogado, foi visto num fim de tarde ao lado do seu carro preto, no topo da ladeira da Rua Bolívia com Marechal Deodoro direcionando um olhar comprido e pedinte em direção ao local da sagrada fonte! Seu semblante denunciava um pedido feito à distância, como não quisesse descer a ladeira.
Como esses rituais não contemplam privilégios, parece que ele terá de descer até a cacimba dos deuses para, ao menos, em leves borrifadas, imantar-se com brisa de lá, ao gorjeio dos bem-ti-vis, pintassilgos, sabiás e até caga-sibite, a fauna do lugar. Quando indagado sobre o que fazia ali, disfarçou dizendo estar olhando os telhados do Bairro Areal. Então ele é outro que nesta sexta-feira 13, a qualquer hora, poderá ser visto todo de branco, de violão em punho, descendo as barrancas do bairro em desabalada carreira, rumo ao banho santo, pára ao chuááá das águas e ouvindo a voz do vento, receber a luz em forma de samba.
Como o grutião virou mesmo o poço de lamúrios e fonte das esperanças de todas as parcerias do samba da Asfaltão, sabe-se que o Misteira (Waldison), o Mávilo Melo e o Pedro Luiz também se refrescarão de corpo e mente naquelas cobiçadas, revigorantes e inspiradoras águas. Eles descerão para refugiarem-se na boca do poço e, de lá, somente subirão, quando vierem aos cantos e gritos anunciando a boa nova, habemos samba! habemos samba!
Preocupados com a grande exploração dos poderes, energias e bênçãos que emanam lá da mina do grutião e, temendo que a procura excessiva amenize os efeitos positivos, o Bainha e o Zé Baixinho, parceiros do Oscar, farão um sessão de bate atabaques, bem em frente onde era o terreiro do pai Albertino. O intuito é potencializar as proteções em torno do samba deles contra o olho gordo, o plágio, o quebranto e até espinhela caída, que as concorrências tão disparando contra os sambas alheios.
tatadeportovelho@gmail.com