Tag Archive: Dilma


Eleição e a Missa de 7º dia da Esquerda Nacional

 

Por Antônio Serpa do Amaral Filho

 

A briga de boxe entre Dilma Rousseff e Aécio Neves pela presidência da República tem produzido cenas patéticas. Uma delas é a composição em torno do candidato tucano: vê-se no mesmo palanque o mineiro Aécio Neves, Renata Campos, viúva de Eduardo Campos, e família; Magdalena Arraes, viúva de Miguel Arraes, e família, e, na Band News, vimos Marina Silva anunciando seu voto e sua adesão ao neto da maior raposa da política brasileira de todos os tempos, o esperto e sagaz Tancredo Neves, um conservador declarado, que depois de morto, representado pelo neto, foi parar no mesmo balaio de gato com um típico militante da esquerda brasileira, Miguel Arraes.

 

Caiu o Muro de Berlim da esquerda nacional. Luís Carlos Prestes veja o que aconteceu!! Como tudo que é que sólido se desmancha no ar, acordamos do lindo sonho marxista-leninista que começou em 1922, com a fundação do Partido Comunista Brasileiro – PCB. Com a iminente derrota do Partido dos Trabalhadores, fracassará o ambicioso projeto da esquerda na República Moderna, depois de doze longos anos no exercício do poder presidencial. Pior, numa arena eleitoral onde já não existe mais esquerda, nem direita, nem centro. A adesão do Partido Verde, do Partido Socialista Brasileiro e de Marina Silva à candidatura tucana marca o esfacelamento da afinidade ideológica que, nos momentos mais conflitantes de qualquer disputa eleitoral, matinha uma mínima unidade política à esquerda. O ambientalismo – qualquer abestado sabe – sempre foi uma bandeira ligada à esquerda, nunca ao liberalismo, e muito menos ao neoliberalismo.  Então, o que é que o senhor Eduardo Jorge do PV está fazendo de beijos e abraços com o Cacique das Minas Gerais?

 

Aqui na capital, por exemplo, a carreira de Roberto Sobrinho começou quando, por afinidade ideológica, o PT apoiou a candidatura de José Guedes, já que na época o PSDB era considerado também um partido de esquerda, da terceira via, chamada de social-democracia. Neste segundo turno, em nível nacional, a composição em torno de Aécio Neves tá mais para samba do crioulo doido, para quem foi lá em Diamantina onde nasceu JK que a princesa Leopoldina resolveu se casar. Hoje neoliberalismo, ambientalismo, esquerdismo e humanismo comem no mesmo prato o angu mineiro, diz que! Só mesmo o antipetismo e o oportunismo podem justificar o mais novo fenômeno da política tupiniquim: a união das raposas com as habitantes do galinheiro. “Agora somos um só corpo” – disse Aécio depois de receber as bênçãos e o compromisso de Marina Silva. Esqueceu de dizer que o corpo é do Frankenstein, personagem cabeça de porco do terror gótico.

 

O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, divulgou carta aberta em que apoia a reeleição de Dilma Rousseff (PT) e afirma que seu partido “traiu a luta” do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos ao se aliar a Aécio Neves (PSDB). Ele é o último moicano esquerdista do país. A articulação planejada e praticada é uma invenção de Nicolau Maquiavel. A expressão ‘os fins justificam os meios’ também é dele.  Com Marina Silva, PV e PSB apoiando Aécio Neves, o maquiavelismo verde-amarelo criou outra pérola da ciência e principalmente da práxis política: os meios justificam os fins. A ideologia de esquerda sucumbiu ante ao pragmatismo, o PT semeou e colheu o antipetismo e o neoliberalismo de Aécio Neves e sua turma inventou o eleitoralismo sem nenhum pudor! Estão todos convidados para missa de sétimo dia da Esquerda Nacional, obviamente sete dias depois de anunciado o resultado da eleição pela Justiça Eleitoral. Não esqueçam de chamar a turma do Mensalão. Eles cantarão o réquiem em honra à falecida.

RECEBIDO POR E-MAIL

01 DE FEVEREIRO DE 2013, 10:12

ESCRITO POR MARCELOTAS

LP com músicas de campanha

 

1955… nasce em Murici, Alagoas

Anos 70… militante do PC do B- Partido Comunista do Brasil

1978… deputado estadual, dizia que Fernando Collor, prefeito de Maceió, era o “príncipe herdeiro da corrupção”

Foto: Lula Marques – Folhapress

 

1982… deputado federal, apoia Collor para governador. Depois, filia-se ao PRN e é membro importante da eleição de Collor à Presidência da República

1989… é o lider do governo Fernando Collor na Câmara e apoia o bloqueio das cadernetas de poupança

1990… derrotado ao governo de Alagoas, rompe com Fernando Collor, que apoia outro candidato

1992… apoia o impeachment de Collor

1994… eleito senador, alia-se a José Sarney e preside a Comissão do Orçamento

Foto: Marcello Casal Jr. – Agência Brasil

 

1998… nomeado ministro da Justiça de FHC, apoia a reeleição de FHC

Foto: Antônio Cruz  – Agência Brasil

 

2002… apoia o candidato derrotado José Serra

2005… apoia Lula e vira presidente do Senado

Foto: Antônio Cruz – Agência Brasil

 

2006… arquiva CPI para investigar Lula

2007… acusado de receber $ de uma empreiteira para custear a pensão da filha com uma amante formosa, renuncia à Presidência do Senado

Monica Veloso, amante de Renan, na capa da Playboy

 

2009… filho dele ganha concessão de uma rádio do governo Lula

2010… apoia Dilma

2011… eleito para o Conselho de Ética

2013… hoje, foi  eleito presidente do Senado

 

Todo mundo fica procurando “culpados” por Renan se tornar presidente do Senado. O Procurador da República apressadamente o acusa de desviar dinheiro e falsificação. Ora, ora, ora… Vamos parar de procurar chifre na cabeça de touro, pessoal. A hora é de investir na educação de quem elegeu Renan e aquela seleção tão especial de seres  humanos que fazem parte do Senado. É simples e difícil assim.

Bom mandato, senador Renan!